Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Início do conteúdo

Carazinho


O território do atual município de Carazinho, pertencia à Província das Missões e fica exatamente entre as bacias hidrográficas do Jacuí e do Uruguai, considerando-se a avenida central, hoje Flores da Cunha, o divisor de águas entre ambas.

Em 1631, na região de Pinheiro Marca ... Leia Mais
O território do atual município de Carazinho, pertencia à Província das Missões e fica exatamente entre as bacias hidrográficas do Jacuí e do Uruguai, considerando-se a avenida central, hoje Flores da Cunha, o divisor de águas entre ambas.

Em 1631, na região de Pinheiro Marcado, foi fundada a primeira aldeia indígena, com o nome de São Carlos do Caapi. Três anos depois é fundada a Redução de Santa Teresa, pelo Pe. Pedro Mola, também na região.

Em 1637, o bandeirante português André Fernandes expulsou os últimos missioneiros e indígenas.

Após um vasto intervalo de duzentos anos, começa a conquista brasileira desta região e, também, a história de Carazinho, com a primeira fazenda. Iniciada em 1827 a criação de gado de propriedade do Alferes Rodrigo Félix Martins, nas proximidades do atual Distrito de Pinheiro Marcado.

Antes da sua emancipação, Carazinho fez parte dos municípios de Rio Pardo, de São Borja e de Cruz Alta. Finalmente, pertenceu ao município de Passo Fundo, criado em 1837, com quatro distritos, com o nome de Distrito de Jacuyzinho.

Em 1872, Possidônio Ribeiro de Santana Vargas, doou terras para a construção de uma capela e o início da formação do povoado de Arraial de Carazinho, em homenagem a Pedro Vargas, seu filho recentemente falecido.

A Campanha Abolicionista e a Revolução de 1893 marcaram Carazinho nas duas últimas décadas do século XIX, Ocorreu a divisão do 4° Distrito de Passo Fundo em três secções, recebendo a primeira o nome de Carazinho.

Com a Revolução de 1923, Carazinho chegou a ser emancipado com o nome de Assisópolis, quando ocorreram os protestos pela reeleição de Antônio Borges de Medeiros, para o Governo do Estado, com denúncias de fraudes e violências nas eleições. Este levante que entraria para a história do Rio Grande do Sul, como um dos mais importantes aqui ocorridos, iniciou em Carazinho, no dia 24 de janeiro de 1923, durando nove meses.

A pecuária de corte era o forte da economia local e industrialização começou com a exploração da madeira pelos imigrantes alemães e italianos ou seus descendentes.

A emancipação de Carazinho foi oficializada em 24 de janeiro de 1931, por ato do então Inventor, General Flores da Cunha, cumprindo uma promessa em retribuição pelo trabalho desenvolvido pelo Barracão Liberal durante a Revolução de 1930.

Na época, Carazinho contava com os distritos de Não-Me-Toque, Tapera, Colorado, Selbach, Cochinho (mais tarde Victor Graeff), Saldanha Marinho, Almirante Tamandaré, Pinheiro Marcado e uma parte de Santa Bárbara do Sul.
Mapa do Rio Grande do Sul - Região de Três Coroas
Carazinho, RS
292Km de Porto Alegre