Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Ministério do Turismo
Início do conteúdo

Cidreira

CIDREIRA, emancipada em 1988 é a praia mais antiga do Litoral Norte

e a mais próxima da Capital do Rio Grande do Sul. Possui lindas belezas

naturais com ampla área de Dunas Móveis preservadas e uma vasta

extensão de beira de praia. A Plataforma marítima encanta os

apaixonados pela pesca artesanal e visitantes. Nossas Lagoas além de

possuírem águas cristalinas são apreciadas pelos praticantes de Esportes

Náuticos. A Zona Rural de Cidreira acolhe os Tradicionalistas no Rodeio

Crioulo Estadual e nas Festas Campeiras, acontece também o resgate das

Festas Juninas com a Tradicional Fogueira e Terno de Juninos, além da

agricultura e pecuária. Na alta temporada Cidreira chega a receber 150 mil

pessoas onde podem usufruir além das belezas naturais os Shows na

Concha Acústica, temos os pontos turísticos como o Farol o Calçadão a

beira mar, Ciclovias e recentemente construído o Santuário de Iemanjá

com 8 m de altura que atrai turistas e religiosos.

Na área humana o município se preocupa com a saúde, segurança e

educação possuem escolas com ótimos espaços físicos inclusive com

ginásios de esportes, alimentação a saudável, laboratório de informática,

transporte e uma equipe de profissionais altamente qualificados.

Cidreira oferece hoje a seus munícipes 100% de cobertura em atenção

básica de saúde com equipes de estratégia de saúde da família e também

uma unidade que atende urgências e emergências 24hs em um centro de

especialidades dando suporte a estas unidades.

A cidade oferece uma gastronomia rica em frutos do mar e opções de

lazer para todas as idades.

Histórico do Município

Em 1767 a Coroa de Portugal doou a sesmaria de Cidreira para o Almoxarife-Mor Manuel Pereira Franco. Possuia de frente 4,5 léguas (29.700m), com 2,5 léguas de orla marítima (16.500m) e era composta pelas fazendas Cidreira, Rondinha, Roca Velha, Ponta do Mato e Porteira. Posteriormente, devido à sonegação de impostos, a Coroa confiscou as terras para serem leiloadas.

Em 1819 a Sesmaria de Cidreira foi comprada por Luiz José Ferreira Saraiva, legando ao filho Francisco Pereira Saraiva as terras do Norte: Roca Velha, Rondinha e Cidreira.

Somente após 1860 começaram a vir para Cidreira os primeiros veranistas, ficando em casas de palha, com chão de areia batida. Dentre os pioneiros encontravam-se as famílias Pilla, Boppe, Mostardeiro, Chaves Barcellos, Alberto Bins, J.H.Santos e outras.

Devido ao difícil acesso não havia moradores, o que passou a ocorrer após a construção do primeiro farol, destacando-se João Neves, Fiscal do Governo Estadual, que passou a residir aqui para impedir a construção de casas sem a autorização do Governo.

A partir de 1930 começaram a surgir as primeiras casas de madeira, sendo construída (em madeira) a Igreja Nossa Senhora da Saúde, surgindo, também, os Hotéis Atlântico (no local onde hoje é a Estação Rodoviária), Farroupilha (atualmente Edifício Alvorada), Castelo, Farol, Cidreira e outros.

Em 1950 foi iniciada a construção da estrada ligando Porto Alegre ao litoral (concluída em 1958), desenvolvendo-se o processo de urbanização de Cidreira/Pinhal. Em 1954 a CEEE instalou o primeiro gerador de energia elétrica, seguindo-se na década de sessenta o primeiro posto telefônico e o serviço de tratamento da água, pela Corsan.

O município teve a sua origem em Santo Antonio da Patrulha, passando mais tarde a pertencer a Osório e, por fim, a Tramandaí - até que, em maio de 1988, foi emancipado.

Mapa do Rio Grande do Sul - Região de Três Coroas
Cidreira, RS
100Km de Porto Alegre