Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Início do conteúdo

Coronel Pilar


Coronel Pilar é uma expressão de luta e coragem em homenagem ao Republicano Coronel Fabrício Pilar. Em 1877, chegaram a São Lourenço de Villas Boas as primeiras bravas famílias de imigrantes italianos, vindas das Províncias de Cremona, Bergamo, Milão, Vicenza e Trento.

As pri ... Leia Mais
Coronel Pilar é uma expressão de luta e coragem em homenagem ao Republicano Coronel Fabrício Pilar. Em 1877, chegaram a São Lourenço de Villas Boas as primeiras bravas famílias de imigrantes italianos, vindas das Províncias de Cremona, Bergamo, Milão, Vicenza e Trento.

As primeiras famílias que lá chegaram foram: Francesco Baruffi, Ângelo Magnani, Carlo Battista Bellini, Alessandro Benini, Steffano Bellini, Giuseppe Ricardi, Menochio Torriani, Andréa Brignoni, Pietro Grazioli, Francesco Bonissoni, Giuseppe Gnatta, Francesco Ferla, Francesco Pisoni, Giuseppe Galvagni, Bartolomeu Amaddori, Ângelo Zanatta, Jacob Bandera, Giovanni Ferri e Giovanni Rottoli. Em 1925, ainda estava vivo, com a idade de 86 anos, o Senhor Francesco Baruffi, pai de dezessete filhos, que havia fabricado o altar, o pavimento e as janelas da primeira igreja de madeira construída pelos imigrantes.

Em 1910, São Lourenço de Villas Boas passou a denominar-se Floriano Peixoto, em homenagem ao Marechal Floriano Peixoto, Presidente Republicano do Brasil. Em 1938, o Prefeito Municipal, Sr. Vicente Dal Bó, elevou à categoria de cidade a vila de Garibaldi e as sedes dos distritos à categoria de vilas. Somente em 29 de dezembro de 1944, finalmente, adota o nome de Coronel Pilar, pelo Decreto Lei nº 720.

Coronel Pilar era o 3º distrito do município de Garibaldi, situado na Encosta Superior do Nordeste, estendendo-se por uma área de formação montanhosa recortada por vales profundos e fortes declives. O clima é de transição e as chuvas são regulares durante todo o ano. Com altitude de 520 metros acima do nível do mar, a temperatura oscila entre 33º e 0º graus centígrados, com formação de geadas e precipitação de neve no inverno.

A área do município é de 104,5 m², tendo como ponto de referência a Igreja Matriz São Lourenço. A vegetação da região na época da colonização era formada por mata subtropical e as elevações eram cobertas por araucárias. Os imigrantes encontraram nas condições do clima e do solo um local próprio para o cultivo da videira, que se tornou a principal cultura do então distrito.

Inicialmente, os imigrantes estabeleceram uma economia de subsistência, um pouco deficitária, e, finalmente, houve a expansão de uma agricultura comercial especializada na produção de gêneros alimentícios. No período em que era desenvolvida a produção de subsistência, surgiu um próspero artesanato que se dedicava à satisfação das necessidades de consumo dos habitantes. Um dos mais importantes produtos da zona colonial nesse período foi a produção de banha que, além de abastecer o mercado interno, era exportada para a Europa. Em Coronel Pilar, a prática da cultura do milho estava associada à criação de suínos, com o objetivo de produzir a banha.

Segundo declarações de pessoas mais antigas, residentes no então distrito, havia comerciantes que compravam dos colonos os produtos agrícolas produzidos e, utilizando como meio de transporte a tropa de mulas, iam até Montenegro levar a produção, que dali seguia para Porto Alegre. Entre esses comerciantes, podemos destacar o Sr. Francesco Letrari, que muito trabalhou pelo progresso de Coronel Pilar, sendo que atualmente existe uma rua que leva o seu nome.

Na entrada da sede do município há um capitel em honra a Santa Bárbara, protetora contra as intempéries, e a São Cristóvão, padroeiro dos motoristas. Todos na comunidade, em sua maioria, são católicos praticantes e aos domingos participam da santa missa dominical.

Os imigrantes, vindos do norte da Itália, onde a escola não estava muito difundida, logo sentiram a necessidade dos rudimentos da leitura e da aritmética. Em 1908, o imigrante José Magni começou a lecionar em sua casa, na Linha Pompéia, onde hoje encontra-se, desativada, a Escola Municipal Miguel Couto. Em 28 de fevereiro de 1937, foi fundada a Escola Particular Santa Bárbara, pelas dedicadas Irmãs do Imaculado Coração de Maria, que ainda convivem conosco. Nesses sessenta e cinco anos, suas maiores preocupações têm sido arrumar a igreja para as missas, fazer as partículas (hóstias) para toda a paróquia, lecionar ensino religioso, coordenar catequese e a liturgia das missas, cultos e acompanhamentos aos doentes de nossa paróquia.
Mapa do Rio Grande do Sul - Região de Três Coroas
Coronel Pilar, RS
122Km de Porto Alegre