Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Início do conteúdo

Rota Gastronômica da Imigração

Informações

Na cultura dos imigrantes italianos da Quarta Colônia, alimentar-se, além de um ato sagrado e de restauro físico, é uma ode a prosperidade e as dádivas da terra, local de onde surgem os insumos para as iguarias gastronômicas desta localidade, presentes no cotidiano de sua gente.
As características geográficas do território do Vale Central Gaúcho, com marcante presença de campos, tanto no Pampa quanto no Planalto, conferiu ao terroir local uma característica agropecuária diversa das demais colônia italianas do estado. Nas várzeas, entre as bacias dos Rios Jacuí e do Ibicuí, o arroz se expande ainda como cultura predominante, e nas campinas em coxilhas, de pasto fértil, o gado é criado com prioridade para o corte.
Assim surgem dois ícones da culinária italiana e que são símbolos da gastronomia típica da imigração na Quarta Colônia: A Bisteca à Milanesa e o Risoto!
Encontrados em casas de família, em festas paroquiais e outros eventos festivos, e em restaurantes típicos, estas iguarias simbolizam marcas características desta região, onde agregam-se a massa, a polenta, o churrasco, o galeto, o agnoline, o radini, a fortaia, o pão e fugazza, ou cuca, como é mais conhecida.
Se estas palavras abriram seu apetite... ?Vien Mangiare!?